Juan Arias

La mujer en Brasil está modernizando la familia

Por: | 22 de octubre de 2012

Podría parecer un contrasentido, pero no lo es. En Brasil de cada diez personas, siete consideran a la familia como a una de las instituciones más importantes. Y al mismo tiempo, la mujer está llevando a cabo una fuerte modernización de dicha institución familiar cuyo poder está acaparando cada vez más.

Mujeres contra la dictadura
Hay quién como el escritor Zuenir Ventura, cree que esa valorización positiva de los brasileños por la familia se debe justamente a que la mujer la está modernizando.

La gente ya no ve a la familia como algo cerrado, patriarcal, en el que la mujer es la esclava del marido y los hijos son tratados como en el famoso film italiano “padre e padrone” de los hermanos Taviani

El último estudio realizado por el Instituto Brasileño de Geografía y Estatista (IBGE), el número de familias en las que es la mujer y no el hombre la que lleva las riendas ha doblado en los últimos diez años, pasando de 9.048 millones para 18.617, mientras que las familias en las que el varón sigue dominando ha quedado estable en 31 millones.

Al mismo tiempo crece el número de matrimonios informales, es decir de parejas que viven juntas pero sin formalizar dicha unión ni ante el juzgado ni ante la Iglesia. Una tercera parte de los brasileños casados viven sin habr nunca formalizado su unión estable que por otra parte posee los mismos derechos ante la ley.

Según los analistas ello supone una modernización de la institución familiar ya que indica que la mujer está entrando con fuerza en el mercado del trabajo y es más escolarizada, en una sociedad como la brasileña en la que la mujer en el hogar estaba aplastada por un machismo atávico.

Pareja  de lesbianas en BrasilPareja de lesbianas en Brasil

El hecho de que la mujer haya perdido el miedo a quebrar tabúes, ha contribuido a modernizar la familia tradicional, al aceptar como normales, realidades como el divorcio, el aborto, el matrimonio homosexual, el haber vivido varias experiencias matrimoniales, así como la aceptación de los matrimonios mixtos entre blancos y negros y entre personas de credos diferentes.

Es curioso que la institución de la familia aparece más valorizada y aceptada como importante en el momento en que la sociedad empieza a aceptar como normal lo que hasta ayer era una herejía y un escándalo, como por ejemplo, las relaciones prematrimoniales, el menor valor dado a la virginidad, al embarazo de las mujeres solteras o las relaciones homosexuales.

Todo ello en Brasil han sido conquistas más de las mujeres que de los varones que acaban aceptando, aunque a veces aún a regañadientes, los nuevos paradigmas familiares, al constatar que la sociedad ha cambiado. Un cambio que ha llevado a cabo sobretodo la mujer con su incorporación al trabajo que la ha hecho autónoma económicamente frente al marido, junto con su interés por el estudio.

Hoy hay miles de esposas y madres de familia que han vuelto a estudiar, lo que les supone salir de casa y relacionarse con otras personas y realidades haciendo con que se ensanchen sus horizontes de libertad.

Dilma y nueve ministrasDilma y algunas de sus ministras

Quizás no sea pura coincidencia que Brasil esté hoy gobernado por una mujer divorciada, Dilma Rousseff, pero que al mismo tiempo mantiene relaciones magníficas con su exmarido, con el que pasa casi todos los fines de semana y disfruta de una relación personal y cariñosa con su nieto que hasta se lo lleva al palacio Presidencial.

En su gobierno hay hoy más mujeres que las que había con el expresidente Lula y con todos los otros expresidentes y es fervorosa defensora de una presencia cada vez más fuerte de la mujer en el mundo de la política y del trabajo.

Por primera vez, Dilma, ha colocado, por ejemplo al frente de la mayor empresa del país, la petrolera Petrobrás, a una mujer, un nombramiento que fue visto como emblemático y significativo y que nadie podía imaginar que un día podría caer en manos femeninas. Y menos tratándose de una empresa de petróleo.

Mujeres jefas de familia (2)

Hay 11 Comentarios

Juan
Gostei do post e demais dos comentários, exceção feita a um leitor um tanto radical e limitado, cientificamente falando.Gostei do coments de Fernando.BH. apenas acho que esse tema é muito profundo e para apreendê-lo é necessário partir de análises e não de uma síntese geral que traz vários problemas ao entendimento dessa nova conformação em andamento da "família" muito ligada ao que se vem chamando de "Feminização do mercado de trabalho". Abraç. Marina da Silva

Eu acho q quem criou essa mulher brasileira como chefe de familia foi o homem brasileiro através do seu horror ao compromisso do casamento, horror a responsabilidade de cuidar de filhos, horror a ter uma mulher só e por aí vai! Com o aumento do consumo de drogas isso até se acentuou. A coisa é tão séria q o único crime no Brasil q leva o faltoso direto para a cadeia sem direito a apelação é justamente fazer filho e não pagar a pensão e se o pai não paga o avô ou até a avó devem pagar, em geral o q tem mais possibilidades financeiras Ou seja, a necessidade é q fez o sapo pular, abandonada e com os filhos para criar não restava mesmo outra alternativa a não ser ir a luta estudar, trabalhar etc Óbvio q as filhas dessas mulheres vendo o exemplo dentro de casa não iriam querer repetir a trajetória das sua mães e procuraram o único caminho possível q é o de ter uma vida própria e independente. O divórcio no Brasil foi desejado pela sociedade q não queria continuar presa a relacionamentos falidos e foram os homens, os políticos homens que fizeram o desejo virar lei. Não deve haver maiores defensores do aborto do q os homens, na maior parte dos casos é a sua 1ª sugestão quando são avisados q vão ser papais... O casamento entre gente de cor diferente (e não só de pretos com brancos) e de religião diferente não creio q se enquadrem no tema de hoje, são marcas registradas históricas da construção do país e depois de 500 anos ainda continua a ter gente q torce o nariz para casamento e filhos nascidos entre 'cores diferentes' como aliás sempre houve, não vejo mudança alguma nisso e aliás até piorou quanto aos casamentos entre religiões com o crescimento das seitas evangelicas q são por natureza intolerantes aos q não são como eles. Algumas supostamente parecem democraticas, tolerantes participam de cultos ecumênicos com outras religiões etc mas vá ver na hora quando um fiel seu quiser casar com um pessoa de outra denominação...não poucas vezes terão q optar entre a fé e a/o amada/o. Concordo q a sociedade é mais tolerante hoje do q nunca foi com as relações homossexuais, isso até tem feito um numero imenso de gente sair do armario dando às vezes a impressão q é uma especie de epidemia, não se sabia q eram tantos creio eu! Já a 'conformação' com o fim da virgindade já vem de décadas mas ainda é possivel q existam algumas virgens por aí! A imprensa do Brasil criou essa imagem de q Dilma tem um relacionamento maravilhoso com o seu ex-marido de 25 anos de vida em comum mas segundo pude deduzir de uma entrevista do próprio sujeito a coisa não é bem assim não, eles têm uma convivência civilizada mas são basicamente exs um do outro, cada um tem a sua vida, eles não têm o costume de trocar telefonemas, apesar dele ter sido deputado e ter iniciado Dilma na vida partidária no PDT ela não conversa com ele sobre política, não pede conselhos etc, ou seja, ele não faz parte desse momento q ela vive como presidenta, ele só faz daquela parte da vida dela em q há um filha, um neto querido e algumas datas festivas, aliás nessa divisão q ela faz da própria vida, segundo o proprio ex, ela entra e serve de exemplo como uma luva para o tema do senhor Arias, é mesmo muito moderno! Sobre Maria das Graças Foster na presidencia da Petrobras, qualquer um dos 6 diretores poderia ser presidente, todos tinham o preparo devido, são poliglotas, possuem 'n' cursos no exterior, mestrados, doutorados, pós-doutorados etc Mas a escolha é sempre política. Ao preferir uma mulher Dilma igualou politicamente os direitos dos generos q já eram iguais por méritos pelo menos até a diretoria! Maria das Graças segundo a Folha em 2004 teve o nome envolvido em uma denúncia de favorecimento a empresa do marido dela, um adenúncia anônima chegou a té o Palácio do Planalto. O hoje famoso justamente por ter o nome associado com corrupção, José Dirceu, foi quem mandou investigar o caso! Óbvio q nada foi comprovado caso contrário ela não seria presidente! E no quesito a vida imita a arte Maria das Graças na infância morou num lugar pobre próximo de algo parecido a um lixão, cenário q se tornou famliar aos brasileiros por causa do fenômeno q foi a novela Avenida Brasil, lugar onde ela tb procurava coisas com valor para depois vender. Tb para ganhar alguns trocados, ela pequena mas já alfabetizada, escrevia e lia cartas para seus vizinhos portugueses emigrados analfabetos, coisa q tb faz lembrar o filme brasileiro de enorme sucesso ''Central do Brasil'' com a fabulosa Fernanda Montenegro q foi até indicada junto com inglesas e americanas ao Oscar de melhor atriz no ano de 1999. Tanto a história da novela quanto o roteiro do filme foram feitos pelo mesmo autor, o nome do momento: João Emanuel Carneiro

Precisamente ayer, juntamente con mi esposa y, de modo espontaneo, analizabamos la unión no formal de nuestros hijos y de los hijos de algunos de nuestros amigos más íntimos y verificamos la normalidad con que viven esta unión. Los padres trabajan y cuidan por igual de los hijos y de los quehazeres caseros.
La semana que pasó fui yo , el abuelo, que cuidó de la nieta de cuatro años, en el período de la mañana. Jugábamos juntos, le hacia las comidas, le daba baño y ela misma se preparaba para ir al cole. este hecho acontece cada vez que la babá está de vacaciones, pues los padres trabajan y mi esposa tiene problemas de salud, dde la cual cuidó con todo cariño.
Este caso puede confirmar los dados estatísticos que Usd. cuenta con tanto realismo.
Sin duda, sé, también de muchos casos de violencia de género en este pais. Apesar de toda la violencia del ambiente avanzamos en las relaciones humanas.

La foto de la boda, no es en Israel? diria que hay un fotografo con uniforme.

Caro Arias, apresento projeto didático que iniciamos em escola internacional sediada no Brasil: www.generocidio.blogspot.com
@generocidio (twitter)

Sherazade, pode começar você dando exemplo. Faça musculaçao, Power Lifting, Culturismo.....com um esforzinho conseguirá ser como as europeias.

Zé Bonitinho, você acaba de ilustrar a violência de gênero que é cometida contra as mulheres no Brasil: homens a cometem com as palavras como você fez agora. Ainda não é bom ser mulher no Brasil, muito distante de ser mulher na Noruega, Suécia, Finlândia...

ah hem? Elas estao modernizando a família? Deve ser sim. Agora os maridos devem manter os filhos que essas vadias têm de tanto trepar fora da casa. Puta que as pariu! Nasceram putas e putas morrerao.

O papel da mulher é cada vez mais importante na sociedade brasileira, mas a mulher ainda é a grande vitima da violência de gênero, do homem maltratador. Quantos assassinatos! No Brasil, é comum um homem rejeitado pela mulher descarregar nela um revolver, porque não suporta vê-lá com outro ( ou outra). Até poucos anos os advogados de defesa usavam a tese do "defesa da honra". Outra grande violência contra a mulher é a crimininalização do aborto, que provoca a morte de milhares de mulheres pobres por ano, porque as ricas pagam por ele em luxuosas clinicas no Rio e em São Paulo. É vergonhoso o fato de uma presidente mulher não ter dado inicio a liberação do aborto num pais com as dimensões do Brasil.

as brasileiras estao cada vez mais poderosas e seguras de si, como o proprio pais

Me parece muy importante reconocer la diversidad y el papel que dentro de un mundo que cambia ocupa la familia como célula central de la sociedad.

Los comentarios de esta entrada están cerrados.

Sobre el autor

es periodista y escritor traducido en diez idiomas. Fue corresponsal de EL PAIS 18 años en Italia y en el Vaticano, director de BABELIA y Ombudsman del diario. Recibió en Italia el premio a la Cultura del Gobierno. En España fue condecorado con la Cruz al Mérito Civil por el rey Juan Carlos por el conjunto de su obra. Desde hace 12 años informa desde Brasil para este diario donde colabora tambien en la sección de Opinión.

Eskup

El País

EDICIONES EL PAIS, S.L. - Miguel Yuste 40 – 28037 – Madrid [España] | Aviso Legal